sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Um post sobre o Bruthus



Todo mundo que me conhece já sabe que há quase um ano eu e meu marido decidimos aumentar a família: temos um cachorro.
Bruthus, um belo  e inteligente pastor alemão.

Eu sempre gostei de cachorro e queria ter um depois que casei. Mas meu marido não queria, pois apesar de gostar, pensava no trabalho que teríamos.

Em um belo dia o Rodrigo acordou e do nada disse: vamos ter um cachorro?  Sim, meu marido, totalmente meu oposto nesse sentido, decide e faz as coisas assim: der repente. Característica que eu acho ótima, se não eu estaria até hoje escolhendo a raça hehehe.

Enfim, depois de muitas discussões - quem é casado sabe - resumindo bem, decidimos pelo "pastorzinho sem fitinha"no canil, o Bruthus.

Logo depois levamos aquela bolotinha preta para casa e.... minha vida mudou!
Ele era assim quando chegou em casa


Parece exagero eu sei, mas eu sou uma pessoa muito, muito sentimental!
Quando pensei em ter um cachorro grande pensei: "ah, ele vai ficar no quintal, vou dar comida, limpar a sujeira, talvez brincar um pouquinho e fazer um carinho nele e só. Como ele não vai ficar dentro de casa, nem vou me apegar tanto...Ele vai ser grande, acho que terei medo dele".

Alguma chance de ter sido assim?
Não. Imediatamente caí  de amores.


O ano anterior à chegada do Bruthus não foi o melhor da minha vida, estava em um período um pouco deprê por vários motivos... Mas posso afirmar que a presença dele me ajudou muito, ocupou minha mente, alegrou os meus dias.
Eu, que fico boa parte do dia sozinha, passei a me sentir mais alegre por ter ele fazendo festa cada vez que chego, fico menos tempo vendo TV e internet em casa, passei a acordar mais cedo e fazer passeios diários, percebi o quanto sou protetora com aqueles que amo, que gosto de cuidar, que não sei mandar, mas que tem horas que preciso ser firme...Enfim, apenas um cachorro e nesses 10 meses de convivência já me ensinou tanto!

Para terminar um trecho lindo e verdadeiro do livro Marley & Eu: "Um cão não julga os outros por sua cor, credo, ou classe, mas por quem são por dentro. Dê seu coração a ele, e ele lhe dará o dele"

E assim foi, não resisti, dei meu coração a ele...



PS: Sei que às vezes sou chata de tanto que falo/posto sobre o Bruthus, mas não resisto, é muito amor! E sim, sei que ele não é meu filho "de verdade" (conheci a mãe dele gente haha), que ele não é um bebê e ainda pretendo um dia ter um bebê humano, mas enquanto isso vou curtindo meu filho peludo, ok?


Beijinhos da Ceci


4 comentários:

  1. O Bruthus será sempre seu protetor e de sua família também. O coraçãozinho dele é na verdade gigante e realmente nos ensina muitas coisas boas. Abraços.
    Alice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou adorando aprender com ele!! Obrigada por passar por aqui Alice!! Bjs

      Excluir
  2. Qur fofinho gente, adoro cachorro grande
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Carolina!! também estou adorando cachorrão!! Bjs

      Excluir